Bancada de Oposição é barrada no Lafepe 
Foto: Paulo Augusto

Quatro deputados da bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco foram barrados, na manhã desta quinta-feira, ao tentarem realizar uma visita de fiscalização na fábrica do Lafepe, localizado no bairro de Dois Irmãos. Ao chegarem no local, Daniel Coelho, Terezinha Nunes, Betinho Gomes e Severino Ramos foram recebidos pelo diretor comercial do Lafepe, Oséas Moraes, que informou que os mesmos não poderiam entrar no prédio público sem terem agendado anteriormente.

A visita da oposição faz parte de uma série de ações que a bancada vam realizando a fim de fiscalizar órgãos e obras do governo estadual que se encontrem com problemas, a fim de cobrar melhorias nos resultados. Nesta quinta-feira, antes de ir à sede do Lafepe, os deputados visitaram uma das farmácias do laboratório, localizada na rua da Imperatriz, Centro do Recife. Lá, observaram o local sucateado, com falta de medicamentos e a comprovação da precariedade no atendimento à população.

“Essa é uma forma pouco democrática de tratar esse debate com a oposição. Nós estávamos aqui para observar o que eles estão fazendo. Se eles tivessem segurança de que estão prestando um serviço à sociedade, não teria porque não receber uma bancada com quatro deputados”, afirmou Daniel Coelho, líder da bancada oposicionista. “O fato de nosso acesso ser impedido é uma tentativa clara de cercear o trabalho da oposição. Acho que é uma coisa muito grave”, complementou Betinho Gomes.

Segundo denuncias anônimas de supostos servidores do laboratório, existem duas instalações – ondem deviam funcionar o tuberculostático e o de produção de injetáveis de pequeno volume – que estão prontas desde 2009, com equipamentos, mas seguem sem funcionar. Há queixas também a respeito das condições de trabalho. De acordo com as denúncias, faltam médicos e enfermeiros do trabalho e técnicos em segurança no trabalho.

Antes da oposição ir à sede do Lafepe, o grupo visitou uma farmácia do laboratório, localizada na Rua da Imperatriz. O cenário foi de descaso, com placa e prateleiras quebradas e falta de medicamentos. Os deputados solicitaram aos atendentes vitamina C, Dipirona, Losatarna Potássica e Anlodipina (os dois últimos, medicamentos para combater a pressão alta) e todos estavam em falta, sem prazo para recebimento.

“Nas farmácias a gente constatou também porque o Lafepe não está distribuindo a cesta de medicamentos que distribuía com todos os municípios. Não distribui porque não tem. O Lafepe hoje está, segundo denúncia que recebemos, sendo repassador de medicamentos e na farmácia a gente viu isso. O que tinha mais eram medicamentos genéricos. Pouquíssimos eram produzidos pelo Lafepe”, ressalta Terezinha Nunes. “Ficou bem clara a decadência do LafepeIsso foi demonstrado a partir das farmácias. O descaso nas farmácias é desrespeito ao público. As instalações, a falta de remédios, está bem claro isso”, concluiu Severino Ramos.