Daniel Coelho: "Infra-estrutura de mobilidade para a Copa é um fracasso". 

Os inúmeros transtornos no que se refere à mobilidade passados neste domingo pelas cerca de 41 mil pessoas que compareceram à Arena Pernambuco, para a partida entre Espanha x Uruguai, foram pauta do discurso realizado nesta segunda-feira pelo líder da oposição na Assembleia Legislativa, Daniel Coelho. O parlamentar reconheceu as qualidades do estádio, "cuja estrutura não deve nada a outras arenas do mundo", mas fez duras críticas "ao fracasso da mobilidade em Pernambuco".



Segundo Daniel, alguns anos atrás, o que mais se falava era sobre o legado que os eventos deixariam para o País, especialmente no que se refere à mobilidade. Porém, o que se tem visto, é uma situação muito pior. “A primeira prova do fracasso do Estado de Pernambuco no que se refere a esse legado que não ficou, vem da mobilidade. Se nós compararmos três anos para cá, quando se iniciaram as obras, a questão do trânsito e da mobilidade na Região Metropolitana do Recife piorou e piorou muito. Deveríamos ter feito intervenções para ter hoje uma situação melhor. Mas está muito pior do que estava há três anos”, afirmou.



A decretação de ponto facultativo por parte do governo do Estado, na próxima quarta-feira, é um exemplo, segundo o parlamentar, desse fracasso no quesito mobilidade. "O governo ter decretado para a próxima quarta-feira ponto facultativo significa você assumir e assinar embaixo a incompetência dos gestores no que se refere à realização desses eventos e a impossibilidade que o pernambucano tem diariamente em se locomover na região metropolitana. Imagine: para jogar Itália e Japão, em São Lourenço da Mata, o Recife, mais Jaboatão e Olinda vão ter que parar. Porque se a cidade tiver funcionando, o turista não chega. É um absurdo completo, a gente assumir essa responsabilidade desta forma".

Os problemas enfrentados pela população para chegar à Arena Pernambuco no domingo, bem como as deficiências estruturais do Estado foram manchete de diversas publicações nacionais e internacionais, conforme lembrou Daniel Coelho. "Hoje, o jornal O Globo faz uma análise do que aconteceu em comparação a outros Estados. O título é ‘Mobilidade do Recife é a pior do Nordeste’. E complementa: ‘Em Recife, a situação é pior. Se a Copa começasse hoje, o torcedor iria comer o pão que o diabo amassou para chegar à Arena Pernambuco. Os acesso deixam a desejar, o metrô não dá conta e o trânsito ficou congestionado nos dias de jogos-teste’".

Daniel citou também a BBC, de Londres, que destacou: "Copa das Confederações expõe falta de planejamento no Recife". "Ela coloca exatamente o que a gente está dizendo. Não há nenhuma condição de locomoção. Chega a ser ridículo os panfletos que o governo tem distribuído aos turistas orientando como eles devem chegar ao estádio. Diz que o turista pegue o carro ou o taxi, deixe estacionado no shopping, pegue um ônibus para pegar o metrô, depois pegue o metrô até a estação Cosme e Damião e depois pegar outro ônibus. Quer dizer, o turista vai ter que pegar dois ônibus e um metrô para ver o jogo", lembrou.

E concluiu, explicando o porquê que esse tipo de situação ser um absurdo: "A intervenção é recente, a Estação Cosme e Damião e o estádio foram feitos agora. Como é que você faz uma estação de metrô para alimentar um estádio e ele não chega até o estádio? Isso é um absurdo. Não tem nenhum sentido ter que pegar dois ônibus e um metrô completamente lotados. Não há a menor condição de se falar em legado", finalizou.

Informações: Paulo Augusto (Liderança da Oposição) – (81) 9946-3043